Como se faz para mudar a eletricidade para o mercado regulado (se compensar)

0
25

Mudar de empresa de eletricidade é uma complicação na cabeça de centenas de milhares de portugueses. É compreensível.

Durante décadas, só havia uma empresa de eletricidade em Portugal. Era a EDP. Não havia dúvidas nem confusões. Era o mesmo preço para todos, chegava a fatura, pagava-se e estava feito.

Na reportagem desta semana do Contas-poupança expliquei-lhe o que é o mercado regulado da eletricidade e como deve fazer caso queira mudar o seu contrato para um tarifário que tem o preço fixado pelo governo. Mas, ao contrário do gás, nem sempre compensa mudar para o mercado regulado. Tem de fazer as contas primeiro.

O que é o mercado regulado da eletricidade

Em 2006, o governo decidiu abrir a porta a outras empresas que quisessem vender eletricidade. Tem sempre uma lista atualizada na página da ERSE, a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos. Escreva no google “simulador erse”, e depois ou usa o simulador ou clica aqui em  lista interativa de preços das ofertas comerciais de energia.

Escolhe a empresa da qual quer saber os preços e compara com o valor que tem na sua fatura. Já lhe vou mostrar como se faz isso.

Voltemos a 2006. A antiga EDP dividiu-se então em duas empresas: a EDP Serviço Universal (que era o tal mercado regulado, onde só havia a EDP com o preço fixo definido pelo governo) e a EDP Comercial (que faz os preços que quiser, quando quiser). Nessa altura, muitas pessoas mudaram para a EDP Comercial e ainda hoje pensam que estão na EDP do mercado regulado e não estão, estão no mercado livre.

Para acabar com as confusões, agora a empresa de eletricidade do mercado regulado (a antiga EDP) passou a chamar-se apenas SU Eletricidade (SU significa Serviço Universal).

Portanto, se tem dúvidas sobre se está no mercado regulado ou no liberalizado é muito simples: Se a sua fatura tem este logotipo está no mercado regulado (e está protegido pelo Estado); se é diferente, é porque está no mercado liberalizado e sujeito a grandes alterações de preços para cima e para baixo.

Mudo ou não mudo?

Agora a questão realmente importante é: mudo ou não para a SU Eletricidade (que é – recordo – a empresa de eletricidade do mercado regulado)?

A resposta é aquela que provavelmente menos gosta: depende. Tem de olhar para a sua fatura e fazer as contas. Mas não é complicado.

No mercado regulado, na tal SU eletricidade, todos os anos a ERSE define um preço da luz para o ano seguinte. E de 3 em 3 meses faz pequenos acertos.

No momento em que gravámos a reportagem, o preço do kWh no mercado regulado era (clicando em “Comercializadores com tarifas reguladas”. Carrega em “seguinte” e depois em “Veja os preços”) de 0,1599 €/kWh. O preço da potência contratada (por dia) depende do que contratou. Para 3.45 kVA era de 0,1662 €.

Sabendo isto, agora é olhar para a linha da sua fatura que tem o preço do kWH e comparar com o 0,1599 da SU Eletricidade. 

Vamos dar alguns exemplos usando o simulador da ERSE, escolhendo a oferta mais baixa de cada comercializador. Na EDP comercial, a oferta do KWh estava nos 0,2282 €. 40% mais caro do que no mercado regulado.

No caso da GALP, cada kWh (ou seja, cada 1000 watts) custava 0,1942 €, mais 21% que na SU Eletricidade.

Por outro lado, a Endesa – neste mês – tinha o preço do kWh mais barato do que o mercado regulado. Estava a 0,1450 €. 

E a Goldenergy tinha o kWh a 0,1465 €, também abaixo da SU Eletricidade.

E a MEO Energia, tinha o kWh a 0,1408 €, mas com a potência contratada altíssima, nos 34 cêntimos.

Em qualquer um dos casos, não se esqueça de fazer as contas também aos descontos e promoções que podem fazer baixar o valor da fatura. 

Contacte a sua empresa e pergunte se tem o tarifário do mercado regulado. Caso não tenha, pode mudar para a SU Eletricidade.

Atenção à Potência Contratada

Outra coisa que pode fazer baixar a sua fatura é a potência contratada que tem. É um valor fixo por dia que lhe permite ligar mais ou menos eletrodomésticos ao mesmo tempo, sem o quadro ir abaixo. Há milhares de clientes a pagar mais do que precisam realmente.

Uma poupança de 9 euros por mês por baixar a potência contratada significa mais de 100 euros que ficam no seu bolso todos os anos.

Mas o critério principal para si deve ser o preço do kWh. Recordo-lhe a marca dos 16 cêntimos para ficar com ela na cabeça. Acima disso é caro, abaixo disso é barato ou normal. 

Para saber de uma forma rápida se compensa ou não mudar para o mercado regulado, basta olhar para um pequeno parágrafo que está na sua fatura. Veja isto todos os meses.

Esta linha obrigatória diz-lhe quanto pagaria a menos se tivesse mudado para a SU Eletricidade. Veja bem se os seus descontos compensam o que está a pagar a mais em relação à SU Eletricidade (mercado regulado).

Se disser que pagaria muito menos se estivesse no mercado regulado, é só fazer isto:

Vai à página sueletricidade.pt, clica em “Fazer um novo contrato”, preenche os seus dados, envia a sua fatura mais recente e outros documentos se for necessário, e já está. Não tem de fazer mais nada nem informar a sua empresa antiga. Ao fazer isto passa a estar no mercado regulado de eletricidade.

Tem aqui o link para ver ou rever a reportagem em vídeo na página da SIC Notícias:

 


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui