22.7 C
New York
Thursday, October 6, 2022

Buy now

spot_img

Automóveis e camiões Volvo dizem não à Rússia – Observador


Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Volvo Cars e a Volvo Trucks, duas empresas suecas, decidiram virar as costas à Federação Russa, como resposta à invasão da Ucrânia. A opção foi suspender o envio de automóveis e camiões para o país, como reporta a Reuters.

A Volvo é, assim, o primeiro construtor de veículos ocidental a tomar uma posição contra a Rússia, sendo que a marca escandinava vendeu nesse país cerca de 9000 veículos em 2021, fabricados na Suécia, China e EUA. Curiosamente, apesar de ter sido anunciado o apoio da China à Rússia antes do conflito, a sueca Volvo optou por tomar uma posição extrema. Isto embora seja propriedade da Geely, uma companhia chinesa.

A decisão do construtor foi uma forma de antecipar as sanções a impor pela União Europeia e pelos EUA, o que cria potenciais riscos associados às trocas comerciais com a Rússia. Daí que a Volvo Cars informe que, “até anúncio em contrário, não serão enviados mais automóveis para a Rússia”.

Pelo seu lado, também a Volvo Trucks (que possui uma fábrica na Rússia, mercado que representa cerca de 3% das vendas) fez saber que iria interromper a actividade na Federação Russa: “Agora que sabemos mais pormenores sobre as sanções e os problemas na região, decidimos suspender todas as operações no país.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Isto levou a Daimler Truck a reagir ao anúncio do rival sueco, afirmando que também ela irá congelar os negócios na Rússia, incluindo a colaboração com o fabricante local Kamaz, apesar desta envolver apenas veículos não militares.

Já a Renault, que é dona da russa Lada, admitiu que espera interrupções na produção local de veículos, como resultado da invasão.

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga-nos

0FãsCurtir
3,514SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever

Atrasados