22.7 C
New York
Thursday, October 6, 2022

Buy now

spot_img

Alemanha nacionaliza a sua maior empresa e importadora de gás

A crise energética está a deixar o mundo receoso, desde empresas até particulares, pela instabilidade que se vive e pelos resultados que, embora desconhecidos, são desagradavelmente previveis. Perante este cenário, a Alemanha decidiu nacionalizar a sua maior empresa de gás do país.

Os bancos alemães têm capacidade para suportar este investimento.


O chanceler Olaf Scholz tomou, recentemente, uma difícil decisão, em nome da Alemanha: nacionalizar a Uniper. Assim, o governo alemão vai direcionar oito mil milhões de euros dos cofres públicos para deter 99% das ações da maior empresa de energia do país, com o valor de 1,70 euros cada uma.

Antes desta mudança, a empresa era controlada pela finlandesa Fortum que viu os seus 56% de capital serem comprados pelo governo alemão, por 500 milhões de euros.

Embora os bancos alemães consigam assegurar a viabilidade desta nacionalização, o grande receio do país prende-se no colapso financeiro da Uniper devido à questão em torno da Rússia - além de ser a maior empresa de gás da Alemanha, é também a maior importadora de gás russo do país. Afinal, só na primeira metade de 2022, a empresa de gás perdeu mais de 12.418 milhões de euros.

Uniper, Alemanha

Anteriormente, em agosto, a Uniper já havia solicitado um crédito à Alemanha no valor de 13 mil milhões de euros.

O acordo de hoje permite-nos continuar o nosso negócio e cumprir o nosso papel como fornecedor de energia crítica para o sistema. Isto assegura o fornecimento de energia às empresas, aos serviços públicos municipais e aos consumidores [...] Nós, na Uniper, estamos conscientes da nossa responsabilidade para com a Alemanha e a Europa.

Garantiu Klaus-Dieter Maubach, CEO da Uniper.

Esta ação levada a cabo pela Alemanha surge no sentido de impedir o colapso nacional e europeu, em termos energéticos. Afinal, o país está consciente da situação que o mundo atravessa bem como da instabilidade que paira sobre as nações.

 

Leia também:

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga-nos

0FãsCurtir
3,514SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever

Atrasados