31.3 C
New York
Sunday, August 7, 2022

Buy now

spot_img

“Ainda somos um Estado colonial português.” Grande entrevista ao líder indígena Ailton Krenak

Avoz que ecoa no discurso de Ailton Krenak, de 69 anos, vem do tempo em que homens e natureza não eram entidades distintas, mas um só corpo. Ressoa nas suas palavras uma memória antiga, anterior à criação do conceito de propriedade, ideia que recusa liminarmente. Em lugar da posse, defende a partilha e o diálogo e convoca a comunidade internacional a participar na proteção ambiental como se de um desígnio vital se tratasse, responsabilizando todos e cada um individualmente pelo destino da Amazónia e, consequentemente, do planeta em que vivemos.

Na história do Brasil caber-lhe-á sempre um papel especial: o do jovem que pediu um fato emprestado, subiu ao palanque e pintou a cara de negro em pleno Congresso para envergonhar os políticos que insistiam em não reconhecer os direitos dos indígenas. Conseguiu o que queria, e é por isso que — diz — não se consegue fi­liar em nenhum partido, porque viveu a experiência da representatividade direta de quem o escolheu para falar perante os legisladores.

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga-nos

0FãsCurtir
3,427SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever

Atrasados